sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Resenha: A Filha da Minha Mãe e Eu, Maria Fernanda Guerreiro

Autora: Maria Fernanda Guerreiro
Editora: Novo Conceito
Páginas: 272
Nota: 4/5


Sinopse: Sensível e tão real a ponto de fazer você se sentir parte da família, A filha da minha mãe e eu conta a história do difícil relacionamento entre Helena e sua filha, Mariana. A história começa quando Mariana descobre que está grávida e se dá conta de que, antes de se tornar mãe, é preciso rever seu papel como filha, tentar compreender o de Helena e, principalmente, perdoar a ambas. Inicia-se, então, uma revisão do passado – processo doloroso, mas imensamente revelador, pautado por situações comoventes, personagens complexos e pequenas verdades que contêm a história de cada um.


É uma felicidade imensa ver o quanto autores nacionais estão crescendo, tanto em número quanto em talento. E se usado algum tema do nosso cotidiano em que eu, particularmente, nunca li em outros livros, nacionais ou internacionais, minha alegria e orgulho ficam ainda maiores.
Atualmente, relacionamento entre pais e filhos é algo muito intenso a ser debatido. Hoje em dia vemos pais matando filhos e vice-versa, é tanto desrespeito entre um e outro que isso nos causa grande indignação. Esse é o tema do livro, mas utilizado de forma um pouco mais leve, como os conflitos cotidianos entre mãe e filha.

“Muitas vezes não é o que se diz que magoa, mas o tom com que se fala que faz toda a diferença.” (Página 100)


Mariana, depois de ver o resultado de seu teste de gravidez, começa a relembrar alguns acontecimentos do passado, pensando, principalmente, na relação com sua mãe Helena. Dessa forma, conhecemos mais sobre sua família e é assim que ela se coloca no lugar de filha e tenta compreender as atitudes da mãe.

A Filha da Minha Mãe e Eu é um  livro muito bonito e com uma leitura bem suave. Narrado em primeira pessoa pela personagem Mariana e em linguagem coloquial, o leitor se envolve e emociona com as histórias de vida da personagem principal, de Tito, Helena, e de todos como uma família.
A autora, além de abordar o relacionamento de Mariana com sua mãe, Helena, aborda também assuntos como a infância, a adolescência, o primeiro amor e drogas. Os personagens são bem desenvolvidos e as situações mais ainda, porque, afinal de contas, quem é que nunca passou por alguns conflitos em casa?
Este é um livro para saborear de forma calma e reflexiva, principalmente por abordar a família, o bem mais precioso que temos na Terra.

“Uma coisa é fato: não dá para fugir da realidade de ser quem você é. Para o bem ou para o mal, com os anos, nossa essência vem mais para fora ainda.” (Página 263)


4 comentários:

  1. Parabéns pela resenha Hannah! Já li A Filha da Minha Mãe e Eu e curti bastante. Achei a temática forte, mas gostei muito. Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oi..

    Gostei muito da resenha, mas não me interessei muito pelo o livro.. Para mim ler ele somente se eu viesse a ganhar ele.

    ResponderExcluir
  3. Gostei da resenha, mas o livro não é o meu estilo favorito, apesar de interessante.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante pra gente. Não deixe de comentar!